quarta-feira, 25 de junho de 2008

.
O dia mais belo? Hoje.
A coisa mais fácil? Equivocar-se.
O obstáculo maior? O medo.
O erro maior? Abandonar-se.
A raiz de todos os males? O egoísmo.
A distracção mais bela? O trabalho.
A pior derrota? O desalento.
Os melhores professores? As crianças.
A primeira necessidade? Comunicar-se.
O que faz mais feliz? Ser útil aos demais.
O mistério maior? A morte.
O pior defeito? O mau humor.
A coisa mais perigosa? A mentira.
O sentimento pior? O rancor.
O presente mais belo? O perdão.
O mais imprescindível? O lar.
A estrada mais rápida? O caminho certo.
A sensação mais grata? A paz interior.
O resguardo mais eficaz? O sorriso.
O melhor remédio? O optimismo.
A maior satisfação? O dever cumprido.
A força mais potente do mundo? A fé.
As pessoas mais necessárias? Os pais.
A coisa mais bela de todas? O amor.

Madre Teresa de Calcutá

3 comentários:

Tiago disse...

Enfim...é (Sta)Madre Teresa! Não há nada a dizer. Um exemplo, um verdadeiro exemplo de vida.

Muito bem escolhido António.
Abraço,
Tiago

ASL disse...

É verdade! Confesso que tenho uma série de escritos da Madre Teresa em "stand by" para publicar aqui no Bazar...

Acho que é muito isso: "Não há nada a dizer".

Nônô disse...

Há tanto a dizer... mas em gestos, olhares, sorrisos, orações. Tanto... no silêncio!